Amputação.com

Informações sobre a amputação.

Deseja receber informações sobre amputação por email? Subscreva a nossa newsletter.

Próteses

Uma prótese é algo que vai substituir uma parte do corpo (Carvalho, 2001; May, 1993). Os tipos de materiais mais utilizados na confecção de próteses são a endoesquelética (estrutura tubular que suporta o peso, revestidas exteriormente por espuma flexível) e a exoesquelética (fabricadas em madeira ou plástico – próteses convencionais) (Mimoso, 2001).

PRÓTESES EXOESQUELÉTICAS

As paredes das próteses exoesqueléticas proporcionam, além da sustentação, o acabamento estético. As produzidas com componentes plásticos são geralmente utilizadas para confecção de próteses de banho e geriártricas. As próteses exoesqueléticas podem ser utilizadas para todos os tipos de amputações, porém, para alguns níveis, preconiza-se, o emprego de componentes modulares, como, por exemplo, em pacientes com amputações transfemorais, desarticulação do joelho e da anca. As articulações de joelho convencionais, fabricadas em madeira ou plástico, são mais simples e não permitem aos pacientes a realização de actividades mais sofisticadas. Podemos citar como vantagens do sistema exoesquelético a resistência, a durabilidade e a pouca manutenção das próteses, porém, encontramos como desvantagens uma estética menos agradável, menos opções de componentes, dificuldades para realinhamentos e impossibilidade de intercâmbio rápido de componentes (Carvalho, 2001).

PRÓTESES ENDOESQUELÉTICAS

As próteses endoesqueléticas podem ser utilizadas para todos os níveis de amputação, com excepção das amputações parciais do pé e do tornozelo. Os joelhos modulares encontram-se em grande número no mercado, com modelos que variam desde os monocêntricos com trava até aos policêntricos com unidades hidráulicas e pneumáticas. Os materiais empregados podem ser encontrados em aço, titânio e alumínio.

Os ajustes e as correcções de alinhamento podem estático. Os ajustes e as correcções de alinhamento podem ser realizados mediante adaptadores, os quais, compostos por quatro parafusos, permitem alterações nos planos sagital, frontal, horizontal e também movimentos de translação. Com esse sistema é possível executar troca rápida de componentes, sem acarretar a perda do alinhamento anterior. As próteses endoesqueléticas são consideradas superiores às convencionais sob o ponto de vista funcional e cosmético, principalmente nas desarticulações de joelho e da anca e nas amputações transfemorais. Adaptadores de rotação e torção podem ser utilizados em próteses endoesqueléticas visando maior liberdade de movimentos e conforto de uso, respectivamente (Carvalho, 2001).